Tomorrow never knows

Posso não te deixar nada. Nenhuma boa lembrança que te faça sorrir numa tarde ociosa de quinta feira, nenhum arquivo de word escondido na pasta de nome difícil de achar no computador, nem um mísero momento de devaneios num almoço solitário no meio da semana, nada. Mas as minhas mensagens, notas desesperadamente confusas escritas no … Mais Tomorrow never knows

À mão

“Cadê a caneta? Bolsa de jornalista sem caneta? Tenha dó! Faça-me o favor! Não é possível que não tenha uma mísera caneta nessa merda que tem de tudo, ó, tudo: hidratante para as mãos, hidratante labial, maquiagem, água, barrinhas de cereal, tudo! Dá para sobreviver um mês ilhada nos escombros pós-terremoto no Japão, mas não … Mais À mão