Busca

Escrevo, depois apago

Não fui eu, foi meu eu-lírico

mês

julho 2011

Back to black

Menti. Não precisava me conhecer/reconhecer no mundo novo, na vida nova. Não entrei em crise pelo término de um ciclo vezes longo, vezes curto e maior parte do tempo agradável e encantador. Não me preocupava com o futuro. Sempre soube... Continue lendo →

Anúncios

Quando o certo é o errado e o errado é o certo

E aí que, depois de tanta (des)ilusão,  resolvi deixar minha rebeldia amorosa de lado e abri a porteira do coração (olha que lindo!) pro certinho, bonitinho, aquele que tem futuro, a quem minha mãe amaria chamar de genro, leal, fiel. O certo. É,... Continue lendo →

Eu escrevo, tu escreves, nós escrevemos

E aí penso naquilo que nos uniu. Interesses em comum, mesmo jeitão, mesmas músicas, mesmas roupas, mesmas manias, mesmos vícios, mesmas vontades, curiosidades, preferências. Mesmos amores. Foi assim, logo de cara, sem nem precisar muito esforço. Te conheci naquele traje... Continue lendo →

A hora de ir pro altar

Cidade do interior é assim mesmo: calor durante o dia, frio durante a noite. Aquela calmariiiiiia que inquieta, ao invés de acalmar, qualquer um acostumado com uma metrópole. Ar puro, vizinhança inteira se conhece, é amiga e todo mundo sabe da vida... Continue lendo →

Rotina

E aí eu te vejo vivendo essa vidinha sem graça, chata, com essas manias ridículas. Os mesmos horários. Mesmos programas de sábado à noite, o mesmo cansaço nas tardes de sexta feira, o mesmo passeio aos domingos pela manhã. Os mesmos bares,... Continue lendo →

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑