Busca

Escrevo, depois apago

Não fui eu, foi meu eu-lírico

mês

setembro 2011

Enquanto com for melhor que sem

Não aguento mais discutir o mesmo assunto over and over. As conversas viram monotemáticas demais até para mim, que não dispenso um debate sobre dor de amor. Os conselhos, que nem peço, já até decorei. “Larga esse filho da puta”,... Continue lendo →

Anúncios

Coisas que aprendi com meu pai

Esse meu temperamento calmo e paciente até demais é herança genética de meu maior professor. Não ser do tipo estourada, porém, me trouxe alguns problemas. Era sempre eu a criança passada para trás pelos coleguinhas espertos. Era eu a tolerante... Continue lendo →

Depois do ponto final

Tomo um banho. Demorado. Testo os novos xampus e óleos adquiridos num surto consumista na farmácia do bairro. Tomo vergonha na cara e jogo as toalhas furadas no lixo. Passo cremes macios e cheirosos até demais. Troco a roupa de... Continue lendo →

Quando o feitiço vira contra o feiticeiro

‘Agora você tá fudido’ – assim mesmo, com ‘u’ – foi o que te falei naquela ocasião. Era tanta emoção, depois de toda aquela tensão desesperadora, que o estado alterado de consciência simplesmente deixou sair as palavras.  Achava que te... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑