As palavras saem de sua boca com uma naturalidade agonizante. É como se nada, nunca, tivesse acontecido. E respondo com uma falsidade tão verdadeira que chega a intrigar. Confunde. Ignoro as mil lágrimas vertidas e esqueço as promessas de mudança e vingança feitas em momento de ódio desesperador.

Não te culpo. Você chama, eu vou. Não me culpo. Você reaparece, eu renasço.

Anúncios