Precisei de uma pausa.
Os motivos já nem sei.
Já passou, já respirei. Mas meu tempo eu respeitei.
Até tive vontade de escrever, sabe?
Mas quando um provável primeiro parágrafo acabava não fazendo menor sentido, tudo bem.
As palavras não saíam. Sem problemas.
O sentimento não fluía. Ok.
Deixava o teclado, a caneta, as letrinhas pequeninas do celular. Ia viver, conversar, tomar umas aulas de zumba, ler um livro, dormir, beber umas boas doses de tequila. Não importa.
Escrever é prazer, é paixão.
É para colocar um sorriso no rosto, não é para estressar.
É para vomitar o que incomoda e não descabelar.
A vida já é toda feita de lombadas, pedras, labirintos e enormes jornadas montanha acima. Mas desta vez, resolvi tomar outro caminho. Outro rumo. Talvez a mim mesma, quem sabe.
Este blog é a minha verdade – vezes inventada. E se a bola da vez for o silêncio, aqui ele estará representado pelo branco da página que, agora e só agora, significa serenidade.

Anúncios