Tem gente que te vê amarelo. Eu te vejo lindo.

Tem gente que fala com você com pesar. Eu pergunto as novidades e, por tanto te conhecer, estou preparada para qualquer reação vezes exagerada e precavida que você pode ter.

Tem gente que não sabe direito como te ajudar. Depois de tudo que você fez e tem feito por mim, não ligo em limpar, arrumar, carregar, acariciar, dar de comer, cobrir e apapachar. 

Você às vezes tem medo de onde tudo isso pode dar. Eu confio e nunca tive tanta certeza de um final feliz.

Tem gente que diz que os sentimentos estão confusos. Eu não tenho nem um pingo de dúvida. É amor. Infinito. Pleno. Verdadeiro e eterno.

Alguns podem se assustar com sua aparência. Para mim, você sempre vai ser a almofada em que eu me deitava, o aconchego da barriga de quando eu tinha 5 anos. A barba gostosa de coçar. O nariz irresistível de apertar e os olhinhos que, para sorrir, têm que fechar.

Você é a minha fortaleza, meu chão, meu GPS, meu mapa, meu porto seguro, bússola, norte, leste e oeste. Você é a bronca e a passada de mão na cabeça, o soco amoroso na barriga e a choro apertado no peito.

Você é o melhor gosto musical, é filme clássico, programa de culinária em Paris e degustação de vinho chileno.

Você é cobertor em dia de chuva, é trabalho com gosto de férias e coca-cola gelada na praia.

Você é o meu herói matador de insetos, pau pra toda obra. É meu google humano, Pavlov meio maluco e Einstein com menos cabelo.

Você é minha versão masculina de amanhã, contador de histórias e colecionador de amigos.

É restaurante chique em dia de aniversário, é praia fora de época, é brigadeiro na dieta.

Você é minha meta de vida, minha obsessão e amor maior. É tatuagem sem tinta, marca profunda, árvore plantada e livro escrito.

É o melhor crítico, amigo, professor. É meu mestre, meu velho, meu exemplo.

Você é meu pai. De sangue, alma, vidas passadas e karma. Te dou meu fígado, meu rim, minhas veias, braços e pernas. Pode ficar com meu cérebro, meu joelho quebrado, meus pés tortos e dedos iguaizinhos aos seus. Pegue meu baço, pâncreas, artéria e até o tendão.

Só já é seu o meu coração.

Anúncios