“Febre” na mão e sorriso no rosto

Quando soube que teria a possibilidade de folhear páginas e páginas daquelas belas, inteligentes, pensadas e sutis combinações de palavras, enlouqueci. Torci muito pelo projeto, pelo autor, pelo talento que viraria sucesso. Mas quando a espera ganhou vida, nome, cor, textura e preço, eu estava longe. "Você pode comprar pela internet", me diziam. Mas os … Continue lendo “Febre” na mão e sorriso no rosto

Ya no te va a doler

Te deixei em um dia de chuva. Nunca chovia em Guanajuato e a gente já sabia que a venda de guarda-chuvas empoeirados no começo de cada esquina era o presságio de uma noite que de certo não poderia acabar bem. Os callejones de pedras largas e escorregadias não foram feitos para serem molhados. Sapatos mexicanos … Continue lendo Ya no te va a doler

Back then

we used to sit on the second, maybe third, step of that stair. and we used to stare at the cold night while smoking our cigarettes. We would rather wait for some of us to get really really cold or scared by the black night and then we would go inside the house, we would … Continue lendo Back then