conte-me tua vida. que encontro teu lide. te escrevo de cabo a rabo. te coloco entre vírgulas. te esqueço no final do segundo parágrafo sem perder o fio da meada pro início do terceiro. te perco entre minha pontuação. tão torta. tão morta. tão viva. te dou sentido se me deres novidade. inventa se for preciso. te viro do avesso. te espremo. te leio. decifro. e te conto aquilo que nem ao menos sabes. te faço chorar com rimas pobres. te encho de adjetivos. te poetizo. te alimento de gerúndios. te descrevo com palavras difíceis. te inflo o ego. te compartilho com o mundo. te deixo num rastro de vida. que quem mora em livro em conto em linhas de traçado sofrido já não morre. algum dia alguém te acha. e te publica. e te eterniza. e eu te uso para lotar mais uma folha. para fazer mais algum sentido. para sentir. e te marco. e te pinto. e te amo. eu te escrevo. para ter-te a um clique de mouse a uma virada de página a um rabisco lembrado no canto do caderno. e eu nunca te esqueço. nunca te ofereço qualquer outra opção. que entregar-se a escritor é virar ficção. que entregar-se a jornalista é virar pauta. puta. de lápis e caneta e caderno e anotação. que entregar-se é oferecer-se. perder-te o controle de ti mesmo. é fechar os olhos. é confiar. e te conquisto. e te convenço. e te rascunho. te admiro. te apago um pouco. para escrever de novo. te faço de vilão e mocinho. te dou o papel principal. coadjuvante. te controlo. te enrolo. te arranco do caderno. me arranco os cabelos. te insisto. te ensaio. te vejo. te escrevo. te escrevo. te escrevo. te bebo. te como. te durmo. te entendo. me entendo. te odeio. te rasgo. te amasso. te quero. mas te jogo. na lata do lixo. te molho de lágrimas. te ateio fogo. e observo. te agonizo. me retraio. te choro. me abro. pra próxima página.

Anúncios