O coração que bate. O sangue que pulsa. Sozinhos. As fotos na parede, o banco debaixo d’árvore, o cão que passeia cabisbaixo cansado de intrometer-se em conversas alheias. Sozinhos. O bar que espera o cliente, cheio de bebida, a faixa... Continue lendo →

Anúncios