Carta de interesse

As palavras sempre foram minha ferramenta de trabalho. Servem para noticiar, explicar, alertar. São prestadoras de serviço. Mas são usadas às pressas, com prazos curtos e sempre sob pressão para serem cortadas, diminuídas, fazer caber.E cumprem sua função com excelência. Ainda quando exaustas, não reclamam.Merecem mais, porém. Merecem tempo. Merecem estudo. Merecem a atenção devida … Continue lendo Carta de interesse

Sobre amizades que se vão

No começo, foi tudo lindo. Deu-se um clique meio que de sopetão, em alguns casos. Em outros, o afeto surgiu da convivência, do ranço mútuo dirigido a um específico alguém ou porque, de repente, percebemo-nos próximos, unidos, queridos, amigos. Ter amigos.Que coisa boa. Que energia maravilhosa. Um relacionamento que tem tudo para dar certo para … Continue lendo Sobre amizades que se vão

forget

Você nunca foi assim. De não resolver as coisas. Pelo contrário, foi você que me ensinou a falar. Mas ontem. Ontem você foi cruel. E aí você esqueceu. Não é que não quis. Ou não tava no clima. Ou inventou uma desculpa. Opções essas que, bem ou mal, envolvem uma preocupação, mínima que seja. Um … Continue lendo forget

fall (in love)

Suor na nuca. Tamborilar dos dedos. No peito uma nova invasão. Outra vez não. Ansiedade maluca. O alívio que chega quando aparece de supetão. Ah não, outra vez não. Cabeça enfiada no travesseiro. Joelhos segurando a testa. Rímel escorrendo de montão. Outra vez não. Sorriso bobo que não me pertence. Andar sem nem tocar os … Continue lendo fall (in love)

sétima arte

Andei, observei, me irritei com as pessoas que riam, sem entender nada daquilo tudo. Prestei atenção mesmo assim. Senti cada palavra. Senti a dor. A angústia. O sofrimento que é só meu e tão comum a todos os seres humanos. Derramei uma lágrima ou outra, controlada. Andei mais um pouco, observei mais um pouco, me … Continue lendo sétima arte

Dorme bem

Eu odeio quando você me deixa assim. Fria. Odeio quando faz questão de limitar a conversa e bruscamente anunciar sua partida. Vou dormir, você diz, está tarde. São 21h. Boa noite, você deseja. Boa noite, eu respondo. E espero. Vai ceder, eu penso. Em silêncio você fica. Ignoro. E me distraio. Mas não consigo. Não … Continue lendo Dorme bem