Busca

Escrevo, depois apago

Não fui eu, foi meu eu-lírico

nothing. at all.

Parecia milagre. Agora vai. Tanta emoção. Tanta sintonia. Tanta verdade. Tanta vontade. Achei que a gente tinha encontrado aquele sentimento que destrói qualquer muro, pula qualquer cerca, ilumina qualquer escuridão. E lutei com todas as minhas forças por uma batalha... Continue lendo →

Anúncios

posologia

dá um tremelique. começa bem no centro do corpo, meio que na espinha, meio que no estômago. aí desce pras pernas, fazendo cair. fazendo tombar. perdendo o equilíbrio como quando criança que vivia engessada. que vivia ralada, vivia. o tremor... Continue lendo →

Labirinto

não precisa nem tocar. nem relar. nem precisa chegar perto. é só aparecer. em sonho. em texto. em pensamento. é só lembrar. é imaginar. mesmo no ambiente menos propício. mesmo quando o assunto é tenso. mesmo quando dá sono. dá... Continue lendo →

fênix

Todo mundo dorme lá dentro. Um amontoado de corpos etílicos, cansados de extravasar. Aqui fora sou eu. Como só eu conheço. Peço licença pra lua, que gentilmente ilumina um pedaço de papel amassado de quem não consegue despejar o desespero... Continue lendo →

tá nublando a nuvem dos olhos. o cinza é clarinho e o sol ainda se vê ao longe. o mundo é muito grande. e tem tanto problema maior do que o meu. injusto é deixar a inocência deitada na cama, vítima... Continue lendo →

Aqui vamos nós outra vez

Achei que o coração tava quebrado. Até batia, mas nada sentia. Apanhou, apanhou, apanhou. Atacar ele até tentou. Mas caiu. Desajeitado. Pobre, pobre coitado. Num potinho feito de gelo ele descansa sem demora. Não tá nem aí pra vida lá... Continue lendo →

Amigos, amigos… Facadas à parte.

comecei a chamar a menina de traíra, veja bem, sem que ela me tenha feito nada. absolutamente nada. bem, nada diretamente, né? porque magoar amigo é magoar-me duas vezes. traição, então, nem se fala. que a gente passa uma vida... Continue lendo →

Lar

Quando eu era pequena, era batata: todo carnaval, ano novo, feriados, aniversários e fins de semana eram lá. Minha mãe preparava as malas, meu pai fazia mágica para fazer caber todos os apetrechos em um porta-malas apertado e logo a... Continue lendo →

RG

Demorei muito pra me encontrar. E essa não é uma música do Fábio Jr. Quem me conhece, mas, assim, conhece mesmo. Mesmo, mesmo... sabe que eu tenho uma lista de nomes imensa pros meus filhos que ainda hão de vir.... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑