Fundidos

*texto baseado em lembranças sonadas de uma vida inventada e no romance Febre, de Renato Essenfelder - cuidado, leitores: pode conter spoilers ........ Talvez ele tenha se matado, pensei. Talvez fosse eu, naqueles tempos, tivesse me matado também. Senti vergonha, porém. Confesso que também cheguei aos mais de quarenta graus, que perambulei cabisbaixa, moribunda. Também … Continue lendo Fundidos

I’m back, bitch

Achei que minha fase de páginas de Word preenchidas por vírgulas, confissões, interrogações, reticências, pontos finais e divagações havia chegado ao fim. Cigarro, uísque, vinho. Mesma praça, mesmo carro, mesmo choro. Nada. Novos pensamentos, músicas, livros, filmes e peças. Outras táticas. Nada. Nem uma mísera linha. Fez-se branco na tela do computador. A caneta não … Continue lendo I’m back, bitch

Primeiro de abril

Depois de certas decisões tomadas, repensamos nossos caminhos e nossas jornadas. Da vontade de contar um outro drama - que não fosse o meu -, comecei um novo projeto. Conheça, então, as histórias de Pussy Jane e Lonely Lilly no Insanamente sã. Mas calma. O 'Escrevo' vai continuar escrevendo. Porque juro que eu até tento, mas meu … Continue lendo Primeiro de abril

Bobagem

É vontade de dormir no sofá e sonhar com você. É nostalgia de ter tanta coisa para fazer e só conseguir concentrar em tua barba. (suspiro!) Não é amor, porém, é só saudade. É só desculpa para resgatar a inspiração, é só motivo inventado para escrever, é só o escritor que habita em mim à … Continue lendo Bobagem

Pode vir, 2012

Quem acompanha o blog sabe as merdas e maravilhas que 2011 me proporcionou. Pensei em escrever uma retrospectiva que contasse que, neste ano, alcancei o céu e o inferno por diversas vezes. Mas pensei que não faria sentido retomar as perdas dolorosas ou os momentos fantásticos que tive com meus amigos. Acho desnecessário revelar aqui … Continue lendo Pode vir, 2012

Autoajuda

Se quiser me entender, não desconsidere textos passados, por mais que o novo os contradiga. Oscilo. É surpreendente a capacidade que tenho de ir de um extremo a outro em uma única virada de página. Minhas estratégias textuais já não existem - são baseadas em ironia, lugar-comum e drama, muito drama. A filosofia utilizada por mim será sempre a de boteco. Minhas entrelinhas … Continue lendo Autoajuda