Busca

Escrevo, depois apago

Não fui eu, foi meu eu-lírico

Tag

drama

Fundidos

*texto baseado em lembranças sonadas de uma vida inventada e no romance Febre, de Renato Essenfelder - cuidado, leitores: pode conter spoilers ........ Talvez ele tenha se matado, pensei. Talvez fosse eu, naqueles tempos, tivesse me matado também. Senti vergonha,... Continue lendo →

Anúncios

I’m back, bitch

Achei que minha fase de páginas de Word preenchidas por vírgulas, confissões, interrogações, reticências, pontos finais e divagações havia chegado ao fim. Cigarro, uísque, vinho. Mesma praça, mesmo carro, mesmo choro. Nada. Novos pensamentos, músicas, livros, filmes e peças. Outras... Continue lendo →

Não há noite longa que não encontre o dia

Dormiu o melhor dos sonhos. Caiu nos braços de Morfeu e este, desta vez, não era gostoso, não tinha os braços fortes ou o dorso torneado. Era mais como colo de vó ou edredom quentinho e macio numa noite de... Continue lendo →

Primeiro de abril

Depois de certas decisões tomadas, repensamos nossos caminhos e nossas jornadas. Da vontade de contar um outro drama - que não fosse o meu -, comecei um novo projeto. Conheça, então, as histórias de Pussy Jane e Lonely Lilly no Insanamente... Continue lendo →

Constante frustração nossa

E quem diria que, na mais inesperada esquina da vida, encontraria um amigo de frustrações. As questões, tão diferentes, se fazem iguais - por pertencerem ao coração. O que queremos, não podemos ter. Coisas da vida, merdas do cotidiano. E nas... Continue lendo →

Baseado em fatos reais

E aí percebemos que a arte imita mais a vida do que a vida imita a arte. Infelizmente, nem todos os absurdos aos quais assistimos refere-se a uma ficção. Descobrimos que o ator coadjuvante – aquele que tem que passar... Continue lendo →

Bobagem

É vontade de dormir no sofá e sonhar com você. É nostalgia de ter tanta coisa para fazer e só conseguir concentrar em tua barba. (suspiro!) Não é amor, porém, é só saudade. É só desculpa para resgatar a inspiração,... Continue lendo →

Pode vir, 2012

Quem acompanha o blog sabe as merdas e maravilhas que 2011 me proporcionou. Pensei em escrever uma retrospectiva que contasse que, neste ano, alcancei o céu e o inferno por diversas vezes. Mas pensei que não faria sentido retomar as... Continue lendo →

Autoajuda

Se quiser me entender, não desconsidere textos passados, por mais que o novo os contradiga. Oscilo. É surpreendente a capacidade que tenho de ir de um extremo a outro em uma única virada de página. Minhas estratégias textuais já não existem - são baseadas em ironia, lugar-comum... Continue lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑