Destilado do papel

Gosto de sofrer um pouco. Tristeza que destila, destila, fermenta e vira inspiração. Se transforma em palavras que abraçam, afagam o coração. Frases e pontos e vírgulas que se alinham sem o cérebro conseguir acompanhar. Sento no escuro, no macio do colchão. No colo, o peso da máquina de fazer expor, sair, distrair e desabafar. … Continue lendo Destilado do papel

(em) suma

não quero que morra. nem adoeça. mas quero que suma. do mapa da minha vida. os meus caminhos posso escolher sem vê-lo. tocá-lo. sofrê-lo. os planos faço sozinha. entorto. endireito. sigo. conheço. desconheço. escolho. erro e acerto. floreio e me sobreponho. minha geografia não tem limites. exploro. desapareço. sempre volto. tenho minha casa. meu bar. … Continue lendo (em) suma

Terapia de bar

- Não podíamos estar mais felizes por sentir tamanha dor! - O quê? – espantou-se ao assoar o nariz molhado por incessantes lágrimas, o mais gay dos amigos gays devia estar louco – você só pode estar brincando, Salomão! - Já parou para pensar o quão sortudos somos por ter uma história tão bela a ponto … Continue lendo Terapia de bar