Hoje é domingo, pede cachimbo…

...O buraco é fundo, acabou-se o mundo. Ficou bebadinha no almoço de família e confessou ao primo de segundo grau os sonhos eróticos que andava tendo. A tia brigou com o tio, que ofendeu a vó ao criticar sua comida salgada. O vô dormiu no sofá, enquanto o timão perdia de 2x0. A prima não … Continue lendo Hoje é domingo, pede cachimbo…

Alô, dona de casa

É mais ou menos assim: o organismo, veja bem, já se acostumou com a ideia de acordar antes, bem antes, das duas da tarde. Tem gente que diz que são hormônios de gente grande, já eu, creio ser apenas uma injustiça do tempo, que faz a gente acostumar até com o acordar quando tudo que … Continue lendo Alô, dona de casa

Rotina

E aí eu te vejo vivendo essa vidinha sem graça, chata, com essas manias ridículas. Os mesmos horários. Mesmos programas de sábado à noite, o mesmo cansaço nas tardes de sexta feira, o mesmo passeio aos domingos pela manhã. Os mesmos bares, mesmos pratos, mesmos drinks. Mesmos discursos, mesmos conselhos, mesmo café. Mesmos discos, mesmas músicas, mesma … Continue lendo Rotina

Tomorrow never knows

Posso não te deixar nada. Nenhuma boa lembrança que te faça sorrir numa tarde ociosa de quinta feira, nenhum arquivo de word escondido na pasta de nome difícil de achar no computador, nem um mísero momento de devaneios num almoço solitário no meio da semana, nada. Mas as minhas mensagens, notas desesperadamente confusas escritas no … Continue lendo Tomorrow never knows