Raio-X

era uma menina. sentada na sarjeta. testa nos joelhos. mãos entrelaçadas. era uma menina. cabelos presos. fios naturalmente caindo sobre as costas. era uma menina. sapatos baixos e vermelhos. calças sem barra varrendo o medo do asfalto. era só uma menina. destruída pelo tempo. pelo vento. pela chuva. altura mediana. lábios finos e mandíbula grande. … Continue lendo Raio-X

Tá na hora de você amar de novo

Deu abraço de saudade. Daquele que não quer largar, que confunde o respirar, que atormenta da melhor maneira que se possa imaginar. Do casaco se fez conforto, dos olhos rolaram lágrimas, no cheiro voltaram lembranças. Cabelos, barbas, braços, corpos que se tornavam apenas um elemento perdido, flutuante no meio da calçada - passagem de apressados … Continue lendo Tá na hora de você amar de novo

Omissão

Mantenho, sobre minha mesa de trabalho, post-its que não posso usar. Guardo comigo, lá no fundo, segredos que não devo contar. Retenho sentimentos que não consigo externar e contenho lágrimas que não ouso derramar. Amo sem poder a ninguém contar. Escrevo, mas insisto em não mostrar. Teimo. E os conselhos, sempre finjo escutar. Quem me … Continue lendo Omissão

Crime passional

Tarde. Um domingo chuvoso. A casa vazia. Um vinho. Lógico, típico. Mas dos melhores. O clássico, do tipo que nunca decepciona, tinha gosto amargo. A uva, colhida com tanto carinho no penúltimo outono, descia rasgando a garganta, cruel. Não fosse oferecido por gente de confiança, temeria ser veneno. Bebida tão cara para perder o gosto. … Continue lendo Crime passional